Mundo BANI — o termo recém-chegado ao vocabulário da nova economia

A imagem ilustra uma janela, a qual mostra uma cidade ao fundo.

Diga olá ao mundo BANI e, dê um tchauzinho ao mundo VUCA!

Isso quer dizer que não estamos mais em um planeta Terra Volatility (volátil); Uncertainty (incerto); Complexity (complexo) e Ambiguity (ambíguo)? Sim estamos, mas ele está em metamorfose e, este upgrade passa a se chamar mundo BANI. Seja bem-vindo a ele!

O termo BANI, que tem as seguintes palavras relacionadas a cada uma das suas letras: Brittle (frágil), Anxious (ansioso), Nonlinear (não-linear) e Incomprehensible (incompreensível), foi cunhado pelo antropólogo e futurista norte-americano Jamais Cascio em 2018 e, vem se popularizando desde 2020 com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e o colapso que estamos passando.

Mundo BANI também vem sendo utilizado aqui no Brasil com o acrônimo FANI, que faz uma referência a tradução das palavras, como visto acima. 

Jamais Cascio, considera esta uma evolução natural ao mundo VUCA.

A retrospectiva da PrintWayy de 2020 mostrou que o nosso plano de sobrevivência para os 365 dias vividos foi elaborado com base nestas 04 características de um mundo em transformação – o VUCA. 

Também estamos conhecendo e aprendendo sobre o mundo BANI, assim como você, por isso segue a leitura para que continuemos juntos a entender mais sobre este termo recém-chegado ao vocabulário da nova economia. 

Entendendo os pilares do mundo BANI 

Em abril de 2020 Jamais Cascio publicou na plataforma Medium o artigo intitulado “Facing The Age Of Chaos” (Encarando a Era do Caos), conforme o seu ponto de vista apresentado, Cassio nota que o conceito VUCA está obsoleto para este novo século, sendo que a volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade já são faces conhecidas na multidão, principalmente para quem trabalha com estratégia e planejamento.

O antropólogo e futurista comenta também, que passamos por uma mudança de fase natural da nossa realidade social (política, cultural e tecnológica) e que a água morna está fervendo, ou seja, estamos a ponto de ebulição!

E, por conta disso tudo é que necessitamos de uma nova representação e, o mundo BANI se torna uma forma de melhor enquadrar e responder ao estado atual do mundo.

Os 04 pilares:

As palavras que formam BANI são alusivas aos atributos essenciais dessa terminologia. 

Ps.: As aspas abaixo são todas referentes a citações de Jamais Cascio e, elas estão no artigo referenciado anteriormente. 

[B] é para BRITTLE

“Fragilidade é força ilusória.”

Entende-se aqui que o mundo atual é frágil e, parte-se da ideia centralizadora que aquilo que temos certeza hoje pode virar uma incerteza amanhã, ou seja, é preciso considerar a mudança de estado das coisas, se algo agora é positivo, amanhã logo após você acordar de uma noite de sono relaxante pode não ser mais tão favorável e, possivelmente você terá que tomar novas decisões. 

O mundo BANI pede para que todos nós estejamos sempre prontos para encarar o imprevisível e, se possível, tomar decisões já mapeadas para todas e quaisquer situações, visando uma situação de emergência e de extrema pressão. 

Como solução a isso podemos ver a crescente do ANTIFRÁGIL – o conceito já foi assunto em pauta aqui no nosso blog, o Luis Fernando Schafaschek escreveu em Resiliência, antifragilidade e empatia: um trio para te ajudar a superar desafios que a pessoa antifrágil utiliza o caos a seu favor e, deu alguns exemplos de situações, as quais você pode conferir acessando o conteúdo.

Três mosqueteiros ao centro com espadas nas mãos. Simbolizam a resiliência, a antifragilidade e, a empatia.

Se o B de BANI nos diz que tudo pode mudar de uma hora para a outra, mais do que nunca os planos B, C, D e assim vai, são bem-vindos! Buscar antecipar os possíveis problemas, imaginar cenários e ter soluções já mapeadas para cada um é uma forma de fazer as coisas continuarem em seu fluxo mesmo que tudo esteja à beira do colapso.

[A] é para ANXIOUS

“Em um mundo ansioso, toda escolha parece ser potencialmente desastrosa.”

A fragilidade do mundo BANI nos deixa expostos a um estado de ansiedade constante, já que nada é previsível. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) 264 milhões de pessoas em todo o mundo, ou seja, 3,6% da população global, têm um transtorno de ansiedade e, a ansiedade é maior nas mulheres: cerca de 4,6% contra 2,6% dos homens.

Falando especificamente do Brasil, os dados mostram que o nosso o país tem o maior índice populacional de pessoas com transtornos de ansiedade, isso desde 2017, quando somava-se quase 19 milhões. 

A ansiedade pelo que “vai acontecer” se tornou latente e predominante na vida de, praticamente, todas as pessoas, e, conforme discursa Jamais Cascio, ela promove o medo de tomadas de decisão, criando barreiras a novas iniciativas. 

[N] é para NONLINEAR

“Em um mundo não linear, causa e efeito são aparentemente desconectados ou desproporcionais.”

A denominada não-linearidade, segundo o antropólogo e futurista, é, por sua vez, resultado da quebra de padrões e do surgimento de eventos não programados, como as alterações climáticas, por exemplo.

Rompe-se o habitual, as rotinas já não são tão estáveis assim e, as portas do esgotamento mental e físico se abrem e junto entram sensações como a de impotência e desconfiança.

[I] é para INCOMPREHENSIBLE

“Tentamos encontrar respostas, mas as respostas não fazem sentido.”

Em um resumo da palestra que Jamais Cascio fez aqui para o Brasil junto a HSM e SingularityU Brazil, o pilar incompreensível do mundo BANI foi descrito da seguinte maneira, conforme a publicação HSM Expo Now: Mundo BANI:

A ausência de sentido se tornou algo corriqueiro na era em que vivemos. A complexidade excede nossa capacidade de entendimento.

“A sociedade não sobreviverá se tratarmos as transformações que estão ocorrendo agora como meras questões políticas e tecnológicas. Digo isso baseado nos meus mais de vinte anos de carreira”, declara. 

Segundo Jamais, no mundo BANI, a intuição, a empatia e a resiliência são cada vez mais importantes, pois se tratam de capacidades exclusivamente humanas.

De acordo com Jamais, a próxima década, sem dúvida, será difícil, mas o colapso não é o único resultado possível. 

“Temos a tecnologia necessária para revertermos fatalidades. O caos iminente tem na mudança seu melhor caminho. Ainda podemos escolher o melhor caminho para nos tornarmos mais seguros de como navegar nesse mundo caótico. No entanto, nossa visão do futuro que teremos ainda é muito limitada.”

Já disse Heráclito de Éfeso, filósofo pré-socrático: A ÚNICA CONSTANTE É A MUDANÇA.

Finalizando o seu artigo Cascio diz que este mundo, o qual vivemos hoje, exigirá uma nova maneira de pensar para ser explorado.

“A estrutura BANI oferece uma lente para ver e estruturar o que está acontecendo no mundo. Pelo menos em um nível superficial, os componentes da sigla podem até sugerir oportunidades de resposta: fragilidade poderia ser encontrado por resiliência e folga; ansiedade pode ser facilitado por empatia e atenção plena; Não-linearidade precisaria contexto e flexibilidade; incompreensibilidade pede por transparência e intuiçãoEssas podem ser mais reações do que soluções, mas sugerem a possibilidade de que respostas possam ser encontradas.” 


Conhece alguém que adoraria aprender mais sobre esse termo do vocabulário da nova economia? Envia esse conteúdo e ajude seus amigos a conhecerem mais a fundo o MUNDO BANI! 

Para finalizar, gostaria de saber se você gostou deste post. 

Faça a sua avaliação através dos emojis. Qual vai ser? 👍😍😲 ou 😤