Rapport e contágio emocional: 02 competências da inteligência emocional

Dois mímicos representam o rapport e o contágio emocional.

O tema sobre o qual vamos conversar agora (rapport e contágio emocional) advém da área das ciências sociais e comportamentais. Diversas subáreas a circulam e tem importância para o seu estudo e evolução como a neurociência biocomportamental a comunicação e a psicologia social. 

No artigo científico “Connecting minds and sharing emotions through mimicry: A neurocognitive model of emotional contagion” as autoras explicam que durante as interações sociais as pessoas tendem a se alinhar automaticamente ou imitar as expressões faciais, vocalizações, posturas e outros estados corporais de seu interlocutor. 

Esta imitação, ou reflexo emocional, relaciona-se com a empatia e, conforme o estudo anteriormente citado o mimetismo automático é um precursor do desenvolvimento social saudável.

Ou seja, esta fenomenologia permite que nós, seres humanos, vivenciamos uma relação em sociedade em um ambiente altamente mutável assim este contágio emocional nos auxilia na vida em comunidade e no desenvolvimento social. 


→ Porque falar sobre isso aqui e agora?

Lembre-se que a inteligência emocional continua sendo uma das softs skill mais buscadas para o trabalho hoje em dia e, continuará em alta por muitos e, muitos anos. Para recordar:

“Encontrar talentos é algo difícil e nesse processo é preciso repensar os perfis da nova era. Não somos ótimos comunicadores na área de TI, em especial com os clientes, por isso, a importância de desenvolvermos soft skills como comunicação, empatia, colaboração, compartilhamento de informações… Os líderes precisam entender a importância de recrutar pessoas versáteis em seus times, que sejam visionários em relação às mudanças, nas oportunidades que podem proporcionar e não as resistentes que têm medo de deixar a zona de conforto de suas atuações. Um novo perfil. É na mente versátil que acontece a mágica.” 

Katherine Lord, VP de Pesquisas do Gartner

Veja mais acessando a matéria a seguir:

Imagem de uma caveira sendo segurada por uma mão com a frase "ser ou não ser".

Rapport e o contágio emocional

A palavra rapport não tem um sinônimo equivalente na língua portuguesa e, por isso é utilizado assim, nesta forma de escrita que tem origem do francês.

Rapport é uma derivação de rapporter que significa algo como “trazer de volta”, por isso algumas pessoas utilizam a palavra CONEXÃO como uma equivalência, mas mesmo assim é importante ter a sapiência que o significado dela não é o bastante para se fazer entender ou, expressar o que realmente é o rapport.

Na teoria da psicologia o rapport é tratado como uma ferramenta ou, um método, para criar uma ligação entre você e o interlocutor. 

“Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o entende e que vocês têm um forte laço em comum. É a capacidade de ir totalmente do seu mapa do mundo para o mapa do mundo dele. É a essência da comunicação bem-sucedida.” 

Anthony Robbins

O rapport, portanto, pode ser entendido como a capacidade em dar resposta total para a pessoa com quem você está se comunicando.

Junto com a compreensão do que é o rapport é importante falarmos e também entendermos o que ao contágio emocional. 

Eliska Prochazkova e Mariska E. Krest, as autoras do artigo “Connecting minds and sharing emotions through mimicry”, classificaram, conforme os seus estudos, o contágio emocional como quente e frio. Sendo que:

  • Contágio emocional – empatia quente: aquela que tem a tendência de assumir os estados sensoriais, motores, fisiológicos e afetivos de outros.
  • Mentalização ou tomada de perspectiva – empatia fria: aquela que faz o uso de um processo mental que permite os humanos em ter a perspectiva do outro e se relacionem com as emoções, pensamentos e intenções de outras pessoas.

Para Eliska e Mariska, o primeiro é uma forma de empatia bastante primitiva, automática e implícita. O contágio emocional, denominado aqui como frio, não pode ser controlado já que ele é ontogenético.

Já, a segunda forma, é uma empatia empregada, controlável e aplicada por desejo. Esta, é a que representa o rapport. O contágio emocional denominado quente, também é citado na teoria como empatia cognitiva e, ela pode ser uma extensão do contágio emocional ou mesmo um processo idêntico com funções adicionais.

Mimetismo facial – quando as expressões do seu rosto falam por si mesmas 

As expressões faciais são uma rica fonte de sinais sociais, transmitindo foco de atenção, intenção, motivação e emoção ao observador. 

Elas configuram conforme o código biológico dos seres humanos e expressam o estado emocional das pessoas (emoções: felicidade, tristeza, medo, surpresa, raiva e nojo – já assistiu ao filme Divertidamente?)

O estudo das expressões faciais como sinal social veio a tona quando Charles Darwin publicou “A expressão das emoções no homem e nos animais”

Depois disso houveram vários outros estudiosos sobre o assunto, mas, os que mais se destacam são Ekman e Friesen que criam um sistema de código de ação facial  (FACS – Facial Action Coding System). 

Conforme a publicação “Social Vision: At the Intersection of Vision and Person Perception”, Paul Ekman criou a universalidade de que os humanos podem reconhecer certas demonstrações faciais de emoção, independentemente de sua formação cultural.

“As emoções mudam a maneira como vemos o mundo e como interpretamos as ações dos outros”.

Paul Ekman

E, ainda conforme o estudo citado, acredita-se que essas expressões comunicativas sejam facilmente reconhecíveis em termos de categorias discretas de emoção.


→ Quer aprender mais sobre linguagem corporal?

Conheça o canal do Youtube Metaforando, O maior canal de linguagem corporal do Brasil – confesso eu eu sou viciada no canal, sou inscrita e sempre que sai uma nova publicação vou logo dando o play (viciada, curiosa e fascinada pelo tema). Vitor Santos é perito facial (e detetive) e traz conteúdos com análises comportamentais não verbais e, de micro expressões faciais, ele usa o sistema taxonômico FACS (este que citei no parágrafo acima). 

Vou deixar aqui para você o link direto para 03 vídeos do Metaforando, são alguns dos meus preferidos!

 

 


Ekman desenvolveu o MMI Facial Expression Database (banco de expressões faciais) onde fornece um grande volume de dados visuais sobre expressões faciais. O artigo Emotion Recognition”, é informa que este banco contém gravações de expressões e micro expressões do padrão temporal completo das expressões faciais, do neutro, passando por uma série de fases de início, ápice e deslocamento, e novamente para um rosto neutro.

O MMI Facial Expression Database é uma coleção de 2.900 vídeos e imagens estáticas de alta resolução de 75 pessoas.

Lembre-se que tanto o contágio emocional (a empatia quente) quanto o rapport (a empatia fria) fazem parte da soft skill da inteligência emocional, que é importante para todos os profissionais do futuro, principalmente para aqueles que nativamente não a possuem.

Siga navegando pelo Blog da PrintWayy.

Que tal ver estes outros 02 posts que eu compartilhei?

Pessoa com uma sombra de super-herói, mostrando que ele é um intraempreendedor.

Imagem de um quadro de emergência, dentro dele o globo terrestre. Simboliza a sustentabilidade disruptiva.

Deixe um comentário aqui embaixo. Aproveita para dizer qual a sua expressão facial para este post!