Resiliência, antifragilidade e empatia: um trio para te ajudar a superar desafios

Três mosqueteiros ao centro com espadas nas mãos. Simbolizam a resiliência, a antifragilidade e, a empatia.

Em tempos de pandemia do novo coronavírus é bem possível que você já esteja saturado de notícias, números e polêmicas sobre o assunto. Diante do cenário que nos foi posto, é até difícil não falar sobre o tema, mas hoje vamos tentar tratar de outras implicações e lições que essas mudanças todas trouxeram para nós.

A virada de chave que tivemos aqui no Brasil, a partir de março, foi brutal. Obrigou todos a reverem seus planos, a procurarem por soluções para problemas que até então não existiam, a tomarem decisões difíceis, a se isolarem.

Acho que é possível arriscar dizer que não teve uma única pessoa que não foi afetada. Uns com mais intensidade, outros com menos, mas todo mundo foi atingindo de alguma maneira. 

O momento é inédito para essa geração. Por estarmos andando em um terreno desconhecido é difícil prever os reais impactos que teremos nos próximos meses e, quem sabe, nos próximos anos. 

Independente disso, há sim alguns fatos que podemos tomar como certos: 

  • Apesar de alguns tropeços, conseguiremos vencer esse momento; 
  • Precisamos confiar na ciência;
  • A ajuda mútua faz toda a diferença; 
  • Em relação aos negócios, infelizmente teremos inúmeras perdas;
  • Teremos um novo cenário.

Lições que ficam

Da mesma forma que todos foram impactados, todos estamos diante de algumas lições. Das várias situações que surgiram, uma delas é oportunidade que temos de ver o resultado de não praticar lições que já ouvimos inúmeras vezes: você não sabe como será o dia de amanhã, demonstre afeto a quem você gosta, faça uma reserva financeira de emergência (para você e para sua empresa, se você for empreendedor), valorize pequenos prazeres da vida, seja mais resiliente, tenha mais paciência…

De certa forma, estamos tendo a chance de perceber como a realidade pode ser dura se não prestarmos mais atenção nestas pequenas (e nem sempre fáceis de executar) recomendações.

Como enfrentar esse momento e, além disso, estar preparado para o temos pela frente? 

Como comentei antes, o cenário é inédito, logo não existem receitas prontas. Se posso me arriscar a dar algumas sugestões, deixo-as abaixo. 

Ao tentarmos praticar essas qualidades estaremos um pouco melhores que antes. Obviamente isso não é a garantia de que tudo ficará 100% bem, mas ajudará a encarar a realidade de uma forma muito melhor.

Resiliência

Segundo o dicionário, na física, resiliência é:

Propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. 

Na psicologia, a definição é mais ou menos a seguinte: 

A capacidade do indivíduo adaptar-se às mudanças ou resistir à pressão de situações adversas. 

Quer um exemplo mais prático? O bambu. Quando o vento sopra com força o bambu se dobra, se curva e, assim, resiste à passagem do vento. Quando o vento cessa, ele é capaz de voltar à sua posição original. 

O que permite que o bambu ultrapasse os períodos de ventania é a sua flexibilidade e adaptação nos momentos críticos e a sua força para voltar a ficar de pé quando tudo passar.

Como praticar a resiliência?

Há diversos passos que você pode seguir para, aos poucos, se tornar uma pessoa mais resiliente. Veja alguns:

→ Tenha um propósito

Vale para a sua vida pessoal e para a profissional/da sua empresa. Ter um propósito, um caminho claro a ser trilhado, lhe ajudará a retomar o rumo de forma mais rápida quando problemas acontecerem (e eles vão acontecer).

→ Não tenha medo de tomar decisões

Somos os únicos seres neste planeta com a liberdade para deliberar e agir a cada instante, a cada passo dado. Não deixe que momentos de dificuldade te paralisem. Tome decisões, mesmo as mais difíceis e aja de acordo com elas.

→ Cultive mais confiança

Confie nos seus talentos e potenciais. Confie nos talentos e potenciais daqueles que trabalham com você. Ao confiarmos uns nos outros damos liberdade para que cada um exerça o seu papel da melhor forma. Por fim, tenha confiança de que momentos ruins são passageiros, e que logo estaremos com novas oportunidades de crescimento.

→ Seja mais flexível

Aceite que há fatos que você não pode controlar. Seja mais confiante, tenha firmeza nas suas decisões, mas tenha flexibilidade para aceitar novas ideias e conceitos. Quem não se abre às novas possibilidades, morre estagnado.

→ Busque novos conhecimentos

Esta é uma excelente forma de estimular o seu cérebro. Esteja pronto para absorver novos conhecimentos a cada dia. É essa atualização constante que te dará recursos para se adaptar nos momentos de dificuldade e se reerguer.

Antifragilidade

O conceito de antifrágil ficou famoso após a publicação do livro Antifrágil: Coisas que se beneficiam com o caos de Nassim Nicholas Taleb, em 2012. 

A antifragilidade pode ser definida como o oposto da fragilidade, e indo além, é um passo adiante da resiliência. 

O resiliente é capaz de se flexibilizar e se deformar para resistir aos choques, mas quando volta, volta à sua posição original. Ou seja, permanece estático. O antifrágil vai além e se beneficia dessas dificuldades. 

Quer um exemplo prático? O músculo! Ao ser exposto a certa carga os músculos do nosso corpo sofrem pequenos desgastes e lesões. Porém, ao recuperarem-se, eles estão melhores, mais fortes e, preparados para cargas ainda maiores.

O antifrágil utiliza o caos a seu favor. E como ele faz isso? Separei alguns exemplos:

→ Enfrente os problemas de frente

O primeiro passo é saber que os problemas devem ser encarados. Não se esquive ou fuja deles. Problemas não resolvidos se tornarão cada vez maiores, portanto, resolva-os assim que possível.

→ Não deixe de agir por medo dos riscos

Trabalhar apenas com as possibilidades em um mundo ideal é um erro. Entenda que sempre acontecerão cenários inesperados. Dito isso, não deixe de agir por conta dessa possibilidade, esteja preparado para enfrentar adversidades e aprender com elas.

→ Dê e receba feedbacks construtivos

Feedback é uma ferramenta fundamental de ensinamento e aprendizado. Na vida pessoal e profissional dê feedbacks claros e honestos, esteja preparado para receber também.

→ Aprende a cada novo erro

Tente olhar todas as dificuldades como uma oportunidade de aprendizado. Se cenários não previstos e tropeços sempre acontecerão, por que não tirar proveito disso?

Empatia

Empatia significa ter a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa. É tentar ver o mundo sob a perspectiva do outro, para compreender melhor e sem julgamentos o que ele sente. 

Isso não quer dizer que ao ser empático você vai passar a concordar com tudo o que o outro pensa. Mas você terá mais subsídios para tomar as suas decisões e a ajudar quando necessário.

Duas coisas que você pode fazer para ser mais empático:

  1. Ouvir e observar com mais atenção: qo alguém estiver falando com você, ouça com atenção e interesse, sem interromper. Pratique a escuta ativa e busque entender a fundo as motivações e desafios daquela pessoa.
  2. Não julgar: um dos principais bloqueios que nos impede de praticar a empatia é o julgamento. Antes mesmo de entendermos todo o contexto de uma situação, já criamos pré-julgamentos que afetarão nossas ações futuras. Tire o julgamento de valor de campo e busque ter uma visão sincera sobre o assunto para então tomar uma decisão ou, dar um conselho.

A oportunidade que temos

Com esses conceitos, temos a chance de olhar o cenário atual como um momento de possibilidades: não de oportunidades comerciais ou de se fazer mais atividades enquanto se está de quarentena. Mas de nos tornarmos seres humanos mais evoluídos. Essa evolução, por sua vez, é o que poderá nos conduzir em um caminho de melhores oportunidades para nossos negócios.

Pratique a resiliência, para que em momentos de dificuldade você seja flexível o suficiente para não quebrar e tenha forças para pelo menos voltar ao ponto inicial. 

A cada novo desafio, a cada novo tombo no seu caminho, aprenda. Coloque um olhar sincero sobre a situação, sem ruídos ou julgamentos, sem tentar achar um culpado e veja como tudo aconteceu. Isso vai evitar que você tropece nos mesmos obstáculos futuramente. Isso é ser antifrágil. 

Por fim, olhe para todos que estão junto a você na caminhada. Tenha empatia e seja realmente um amigo dos seus parceiros comerciais e, da vida pessoal.

Entenda que, assim como você está fazendo agora, todos estão buscando viver da melhor forma e, a grande maioria está buscando respostas que, na verdade, ainda não existem.

Se você quiser continuar lendo sobre este tema, em como ser melhor a cada dia, segue a indicação do post da minha colega Janaína e, outro do meu colega Gabriel:

Dois mímicos representam o rapport e o contágio emocional.

Ilustração de duas xícaras de chá com pires e colheres ao lado, o vapor da água quente forma um coração em cada xícara. A ilustração representa a afetividade que deve haver na comunicação