[Fala Playyer!] Acompanhe a rotina de uma profissional de Design Gráfico no DreamTeam

por | jan 24, 2022 | PrintWayy

Um microfone de estúdio, com um fio enrolado em sua volta e três gatos ao fundo, brincando com o fio. Ilustrando a série Fala Playyer, com a profissional de Design Gráfico da PrintWayy.

A PrintWayy possui um DNA próprio, o qual é representado por seu Manifesto de Cultura. Lá, estão estampadas as características primordiais para se tornar um Playyer. 

E, se você não está habituado com essa palavra, e ela é nova em seu vocabulário, deixa que eu te explico:

Descrição da palavra Playyer - colaborador da PrintWayy.

Agora que já te mostrei o nosso conceito, vou te apresentar a uma Playyer de verdade! Partiu conhecer os membros que compõem nosso time?

A série [Fala Playyer!] vai permitir que você acompanhe de perto alguém do nosso time, para entender quem colabora para que a PrintWayy seja um verdadeiro Great Place to Work, vendo sua rotina dentro e fora do DreamTeam!

Vamos lá, estou muito ansiosa para te apresentar a Playyer deste mês.

11 perguntas sobre a rotina da profissional de Design Gráfico Flávia Regina Cristofolini

 

01 – Queremos te conhecer melhor! Conte o que você faz na PrintWayy, e alguma característica do time que você faz parte.

Flávia: Eu sou Designer Gráfico na PrintWayy, produzo imagens e vídeos para as mídias sociais, entre outras atividades! Sou uma das 04 mulheres do Time de Marketing. 

Uma característica do nosso time que eu gosto muito é que nas reuniões semanais trazemos dinâmicas e desafios que nos conectam e ajudam a nos conhecermos melhor. Acredito que esses detalhes fortalecem a confiança que temos umas nas outras.

 

02 – Sabemos que a PrintWayy é um Great Place to Work, mas o que você acha que faz dela tão Great

Flávia: Pra mim, os valores da PrintWayy têm tudo a ver com ela ser tão Great. COMPROMETIMENTO – SOMOS UM TIME – CONFIANÇA É TUDO – ORGANIZAÇÃO – VÁ EM FRENTE. Estes valores estão presentes no nosso dia a dia, na nossa cultura. Eu os acolhi desde quando me candidatei à vaga na empresa e me dedico para que meu comportamento orbite em torno deles. É como ter um guia, um norte, e ver que eles te levam pelo caminho certo.

 

03 – Quais foram as suas motivações para escolher sua atividade atual?

Flávia: Eu sou formada em agronomia, tenho até mestrado na área. Mas meu coração sempre foi do design. Desde a adolescência fui aprendendo, despretensiosamente, a editar vídeos, fotos, montar algumas artes. Eventualmente, as pessoas queriam contratar meus serviços de design. 

Acabou sendo uma renda extra durante a faculdade, até que eu criei coragem e comecei a procurar um emprego formal na área e finalmente sinto que estou realizada. Eu tenho orgulho de ter corrido atrás daquilo que me faz feliz há tanto tempo e de olhar pra trás e relembrar todo o processo para chegar até aqui.

 

04 – O que te ajuda a superar um momento de bloqueio criativo?

Flávia: Bloqueios criativos são mais comuns do que eu gosto de admitir, mas já tenho algumas cartas na manga para lidar com esses momentos. Gosto muito de parar o que estou fazendo e partir para uma tarefa completamente diferente. Pode ser uma atividade do trabalho mesmo ou até assistir um vídeo qualquer na internet. 

Ler um livro, ouvir um podcast, até dar uma olhada nas mídias sociais ou sites de notícias. Algumas vezes o que me ajuda é sair da frente do computador e brincar um pouco com meus gatinhos (obrigada, remote first!). A única coisa que eu sei que não funciona para desbloquear a criatividade é insistir naquela tarefa.

 

05 – Há algum profissional que você mais admira dentro da sua área? Quem?

Flávia: Apesar de não ser exatamente minha área, admiro e acompanho muitos ilustradores. Sara Gaiaudi, Brenda Bossato, Vania Bachur e muitos outros são inspirações, profissionais cuja arte ajuda a despertar a ilustradora que há dentro de mim.

 

06 – Qual o impacto que trabalhar em uma empresa remote first tem na sua rotina?

Flávia: Estar em casa, num ambiente tranquilo e onde eu me sinto à vontade me ajuda muito na hora de trabalhar. Eu me adaptei bem ao remote first e me faz bem estar perto dos meus 03 gatinhos e poder dar mais atenção a eles. Sei que posso trabalhar de qualquer lugar e esse detalhe é maravilhoso para quem, como eu, mora longe dos pais. 

Posso ir visitá-los, passar uns dias com eles e ainda assim fazer meu trabalho tranquilamente. E não precisar encarar o trânsito todos os dias para ir e vir do trabalho é libertador!

 

07 – Fala pra gente o que você mais gosta de fazer nas suas horas vagas!

Flávia: Gosto muito de assistir séries e de jogos de computador. São meus passatempos favoritos, posso passar horas maratonando séries e virar a noite na jogatina com os amigos. 

 

08 – Conta aqui quais são os primeiros passos a serem dados por alguém que deseja iniciar na carreira de designer gráfico.

Flávia: Existem cursos pagos e gratuitos, onde se pode aprender um pouco de teoria e fundamentos, e também uma imensidão de conteúdo gratuito na internet sobre a parte prática da profissão, em todas as suas nuances. O que não falta é tutorial, do mais básico até os mais avançados. O importante é começar e, aos poucos, você vai descobrindo qual caminho seguir.

 

09 – Como funciona o seu processo de criação? Onde você busca as suas maiores inspirações?

Flávia: O meu processo de criação se baseia em consumir muito conteúdo para usar de inspiração. Como meu trabalho, hoje, é mais focado em material para mídias sociais, passo bastante tempo olhando o que tem por aí, seja no Instagram ou no Pinterest, por exemplo, prestando atenção em tendências e estudos lançados recentemente. 

 

10 – Quais as maiores habilidades que você considera que um profissional da área precisa ter (uma hard skill e uma soft skill)?

Flávia: Acredito que para ser um grande profissional da área do design gráfico seja necessário dominar alguns softwares como Photoshop e Illustrator, ou similares. Aqui não temos muito pra onde correr. A parte boa é que quanto mais se usa, mais se aprende. Mas nada disso adianta se você não conseguir se comunicar bem com as pessoas. E não apenas passar uma mensagem, mas principalmente, saber ouvir. Muito do nosso trabalho é transformar ideias, por isso, escutar atentamente e conseguir entender a mensagem que se deseja transmitir é essencial.

 

11 – Qual foi o maior desafio que você encontrou e superou em todos os anos de carreira?

Flávia: O maior desafio que eu encontrei foi o de tomar coragem para ser o que eu sou hoje, para decidir que eu seria designer gráfico. Foi intenso e desafiador, mas já sabemos que essa decisão teve um final feliz. 

 


O que você achou dessa série?

Ela está apenas começando! Deixe um comentário sobre o que mais deseja conhecer sobre DreamTeam e, sobre a PrintWayy! Queremos sua opinião, conta aí. 💬🙃

Share This